Marcadores

10_armadilhas (1) 470_coautores (1) AprendizagemInformal (4) Arte_Hospedagem (1) Árvore_Saber_Aprender (1) Atencao (1) Atomos (1) Bairro_Inteligente (1) Bancos (1) Better_Project (1) Bits (1) Blog (1) Blogs (2) Bloqueio_Curiosidade (1) Bloqueios_Mentais (1) Bono_Edward_de (2) Bovo_Viviani (1) Brainstorming_Dicas (1) Brasil (2) Business Model Generation (1) Cachorro (1) Cancer (1) Canvas (1) Capital_Humano (1) Capitalismo_Cultural (1) Catraca_Livre (1) CD_SelfService (1) China (2) Cidade_Escola_AprendizDimenstein_Gilberto (1) Cidade_Inteligente (3) Coaching (1) Colaboracao (8) Comercio_Conectado (1) Comunicacao (2) Comunicacao_Corporativa (1) Conhecimento (2) Conhecimentos_Inovacao (4) Consumir_bits_x_consumo_atomos (1) CriatividadeAplicada (11) Crie Futuros (2) Crise_Climática (1) Crise_Energética (1) Crise_Financeira (1) Crise_Urbana (1) Cultura (1) Dado (1) Declinio_Criaticidade (2) Deheinzelin_Lala (2) DeMasi_Domenico (7) Desindustrializacao (1) Detector_Tumor (1) Diamundialsemcarro (1) Dimenstein_Gilberto (6) Dowbor_Ladislau (1) E-book (1) E-myth (1) E-Myth_Worldwide (1) Economia_Criativa (5) Economia_do_Ocio (8) Economia_Espiritual (1) Editora (1) Educacao (7) edX (1) Eletrocooperativa (1) Emocao_Regra (1) empreendedorismo (1) Emprego (4) empresa (1) Energia_Solar (1) Ensino_Distância (1) Enterprise_of_the_Future (1) Enthusiasmo_Cultural (1) Era_Acesso (1) Espaco_Aberto_C_T (2) Esporte (1) Evolução_Espontânea (1) Exterminar_Ideia (1) Facebook (2) Fisica_Informacao (1) Fogueira (1) FORMA_Informatica (1) franquia (1) FREE_Anderson_Chris (2) Fuga (1) Fundacao_Vanzolini (1) Futuros_Imaginarios (1) Genes (1) Georeferenciamento (1) Gerber_Michael (2) Gestao_Inovacao (3) Globonews (1) Google (2) Googleização (1) Goswami_Amit (1) Harvard (2) Hermann_Walther (1) High_Tech_High_Touch (1) HSM (1) IBM (2) Industria_Criativa (1) Innovator’s_Dilemma (1) Inovaçao (3) Inovação em Modelos de Negócios (1) Inovacao_Aberta (3) Inovacao_Conhecimentos (1) Instituto_MVC (1) Interacao_Ambiente_Informacoes (1) Internet (2) iPad (1) iPhone (1) Jornada_Trabalho (4) Jornal_Impresso (1) Jovem_Situacao_Risco (1) KimW_Chan (1) Kindle (2) Lazer (1) Livro (1) Livro_Didatico (1) Mapas_Mentais (1) Marketing (1) MediaLabs (1) Mídia (1) Midia_Massa_Declinio (1) MISSÃO (1) MIT (2) MIT: (1) Mobilidade_Inteligente (1) Movimento (1) Naisbitt _John (1) Nanotecnologia (1) NascemosParaAprender (1) negócio (1) Neo_Empresa (1) NetWeaving (1) Neuronios (1) Nobrega_Clemente (1) Nossa_Sao_Paulo (1) NovaConsciênciaHumana (1) OBJETIVO (2) Oceano_Azul (1) Ocio_Criativo (3) Open_City_Labs (1) Open_Innovation (1) OpenCourseWare (1) Oportunidade (1) Orkut (1) Osterwalder_Alexander (1) Pensamento_Lateral (2) Pigneur_Yves (1) Preconceito (1) Privado (1) Processo_Criativo (6) Produtividade (1) Propriedade_Intelectual (1) Público (1) Qualidade_vida (2) Rede_Social (7) Regras_Inovacao (3) Relacoes_Consumo (2) Revista_Digital (1) Rifkin_Jeremy (1) Rio+20 (1) Ruptura (1) Sala_dos_Sonhos (1) Santhinon_Renato (1) Saraiva_J_C (1) Saude (1) Saude_Novo_Modelo_Negocio (1) SBGC (34) Sea_Business (1) Seis_Chapeus (1) Servicos_Financeiros (1) Sexto_Sentido (1) SHAPIRO_AARON (1) Siqueira_Jairo (4) sistema (1) Social_Business (1) Sociedade_Conhecimento (1) Sociologia_Trabalho (3) SONHO (2) Souza_César (1) Streams (1) SUCESU_SP (1) Sustentabilidade (3) tablet (1) Taurion_Cezar (1) Tecnologia (1) Teoria_Quantica (1) TerraForum (1) TIC_Educação (1) Trabalho (1) Transicao_Organizacional (1) Trocmé-Fabre_Hélène (1) Twitter (2) UNICAMP (1) Universidade_Colaborativa (1) USP (1) Varejo (1) VISÃO (2) Wiki (1) WIKI_Universidade (1) Wikifuturos (2) Wikimedia (1) Wikipedia (2) Yong_Chu_S. (1) Zilber_Sylvio (1) Zinio (1)

Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Harvard e MIT vão oferecer certificados para cursos on-line gratuitos - Programas virtuais derrubam as barreiras para profissionais que não têm horário na agenda para aprimorar a carreira.



6 set. 2012 ... A escola on-line EdX, fundada pela Universidade de Harvard e o MIT, vai oferecer exames finais supervisionados para que os alunos possam ...

·  EdX anuncia adesão da Universidade de Georgetown 
A bicentenária Universidade de Georgetown anunciou ontem que, a partir do segundo semestre do ano que vem, passará também a oferecer cursos pelo edX, site que reúne aulas de nível superior e que foi lançado por duas das mais importantes universidades do mundo: Harvard e MIT. Em julho, passou a contar também com UC Berkeley; em outubro, foi a vez da entrada da University of Texas System e, na semana passada, o time ganhou a adesão do primeiro liberal arts college, o Wellesley. Agora, são seis as instituições que colocam disciplinas do seu currículo à disposição na internet. 


·  Harvard, on line, de graça    http://acontecenaeducacao.blogspot.com.br/

Melhores universidades do mundo oferecem cursos gratuitos pela web, abertos a todos e com certificados 
(...) O Coursera é a maior, mas não a única iniciativa do tipo. Das dez melhores universidades do mundo segundo o ranking Times Higher Education, todas têm conteúdo gratuito on-line. Delas, seis têm disciplinas inteiras. 
(...) A ideia de boa educação superior ao alcance de todos ganhou corpo em 2012 com o conceito de Mooc, sigla que em inglês significa "cursos abertos on-line em massa". 
Veja também, na Folha de São Paulo: 


·  Sites ajudam a escolher curso on-line gratuito 
(...) Para Jesse Spaulding, fundador do Course Talk, além de agregar cursos em um só lugar e trazer críticas de usuários, sua plataforma tem outra funcionalidade muito útil na hora de escolher um curso para estudar: a de apontar opções de cursos com características semelhantes. 
Porvir  http://acontecenaeducacao.blogspot.com.br/

Khan Academy pode chegar aos outros 65%
Salman Khan começou, sem querer, uma metodologia que muitos hoje dizem estar liderando a revolução on-line da educação. Com vídeos curtos, majoritariamente sobre assuntos de matemática e ciências, agregados em uma plataforma, ele conseguiu levar conteúdo do ensino básico para todo o mundo. De 2004 para cá, suas aulas já foram assistidas mais de 200 milhões de vezes. Mas no meio desse caminho de sucesso, um de seus estagiários se incomodou com uma conta que não fechava: como revolucionar a educação no mundo se apenas 35% das pessoas têm acesso à internet? Como resposta, Jamie Alexandre lançou, na semana passada, a Khan Academy Lite, uma versão offline da plataforma que reúne vídeos e exercícios e funciona sem a necessidade de conexão constante. 
Porvir

Redes estaduais usam jogo de computador para dinamizar aulas
O desinteresse dos jovens pela escola tem sido apontado em pesquisas como o principal fator da evasão escolar. O ambiente escolar, baseado em um modelo da Revolução Industrial, há tempos não atende mais às demandas dos jovens, que vivem em um mundo conectado. E os jogos educativos de computador são uma das saídas apontadas para conseguir trazer os jovens de volta para escola. No Brasil, várias iniciativas vêm despontando para conquistar este mercado. O jogo Operação Cosmos, desenvolvido pela empresa Redalgo, é um exemplo.



(...) As recentes pesquisas em neurobiologia e ciências cognitivas confirmam que somos capazes de aprender durante a vida inteira. Nossos fabulosos recursos cognitivos (nossa memória, nossas percepções sensoriais, nossas línguas, nossa capacidade de abstração, de decisão...) constituem um verdadeiro patrimônio da humanidade. Esta obra propõe fascinantes imagens fractais, de autoria de Thierry Huort, para ilustrar o extraordinário poder organizacional e a força criativa dos acontecimentos mentais de nossa vida cognitiva. O meio educativo tem o dever de proteger este patrimônio, de reconhecê-lo, de melhor conhecê-lo, e de fazê-lo conhecido.

Aquele que aprende vai ao encontro do desconhecido e deve, constantemente, se reorganizar em relação aos seus saberes anteriores, ao seu meio ambiente, aos outros e a si mesmo. Para reinventar o ofício de aprender, isto é, lhe conferir um novo valor, é preciso agir como numa construção: aplainar o terreno, demarcar as fundações, escolher os materiais adequados, adaptar o edifício ao seu entorno, e expô-lo ao horizonte.  (...)

Trecho extraído de:
sexta-feira, 22 de outubro de 2010
“O iletrado do futuro não será quem não aprender a ler, mas quem não aprender a aprender”

 

Carreira

Sem tempo? Tecnologia leva o conhecimento até você

Programas virtuais derrubam as barreiras para profissionais que não têm horário na agenda para aprimorar a carreira.

Edileuza Soares

02 de janeiro de 2013 - 07h30

Fazer MBA para dar um upgrade na carreira é o sonho de muitos profissionais de TI, mas alguns não conseguem realizá-lo por causa dos horários complicados do trabalho que executam. Com ajuda da internet e novas tecnologias como iPad plugado em 3G ou Wi-Fi, é possível investir em um programa de desenvolvimento profissional e frequentar aulas virtuais onde quer que esteja e em universidades de qualquer lugar do mundo. 

De acordo com consultores em RH, MBA no currículo pode gerar retorno entre 20% e 30%, dependendo do selo da instituição. Para os profissionais de TI, esse tipo de programa tem até um peso maior por causa do aumento da pressão do mercado para que sejam menos técnicos e mais estratégicos. Os que têm domínio de tecnologia e visão de negócios são diferenciados.

Para esses talentos, o ensino a distância (EAD) derrubou as barreiras de tempo e de localização geográfica. Eles podem usar a web para aprimorar conhecimentos e buscar cursos de negócios, gestão e administração em instituições nacionais como Universidade de São Paulo (USP), Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), entre outras. 

A internet também torna acessível aos profissionais brasileiros MBAs oferecidos por universidades internacionais famosas no mundo dos negócios, como é o caso de Harvard, Stanford e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

É possível matricular-se em cursos de extensão ministrados nos Estados Unidos e Europa com programas 100% online. Porém, no Brasil, o Ministério de Educação (MEC) determina que os cursos tenham uma parte da carga horária presencial. “O MEC não estabeleceu uma porcentagem, mas provas e apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) têm de ser em unidade física”, explica Vladimir Gonçalves, coordenador acadêmico de Educação a Distância do Ibmec.  Em algumas instituições, as aulas presenciais variam entre 20% a 30%. 

O formato online tem a vantagem de ser flexível, permitindo que o estudante faça o curso de acordo com sua disponibilidade. Algumas atividades acontecem com horário marcado, que são as aulas ministradas em tempo real. Caso o aluno não consiga participar, ele tem a opção de assistir ao conteúdo gravado e acessível na web.

“Os alunos não precisam se deslocar. Existem grades fixas, mas eles podem, se quiserem, até estudar de madrugada”, afirma o professor André Genesini, especialista em EAD e que participa da Associação Brasileira de Ensino a Distância (Abed). 

Os cursos virtuais custam cerca de 50% menos do que os tradicionais por serem ministrados em larga escala. Entretanto, os especialistas recomendam programas de instituições conceituadas e credenciadas pelo MEC. Analisar a metodologia oferecida pela instituição também é importante. Com as novas ferramentas tecnológicas, as aulas precisam ser dinâmicas e apoiarem-se em várias mídias para reforçar o aprendizado. 

Dicas para a escolha certa 
Apesar de ainda não ser muito popular no Brasil, os especialistas defendem que o MBA online é mais eficaz do que o tradicional. Os alunos também são mais focados, segundo avalia o professor Alberto Borges Matias, que coordena os cursos de MBA online da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace), órgão de apoio institucional à Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEA-RP-USP). 

Como professor dos dois formatos, Matias percebe que os que estudam pela web precisam correr atrás do seu programa e são mais proativos, enquanto os que estão nas salas de aula físicas recebem muito material pronto e se esforçam menos.

“No curso presencial, o aluno abre o Facebook e não está nem aí para o que o professor está falando. Por isso, Matias afirma que o indíce de evasão nos MBA online da USP é 25% e nos programas presenciais a desistência chega a 40% dos matriculados. 

Ter disciplina é essencial para levar um MBA online até o final do curso, que varia de um a dois anos e meio. Nem todos têm perfil para curso virtual. Para os que precisam sempre de alguém fazendo pressão para que cumpra suas tarefas, o EAD pode não funcionar. “Tem executivo que é brilhante, mas se não for organizado, vai perder tempo no curso online”, chama atenção Genesini.

“O MBA online exige compromisso e muita dedicação”, acrescenta Gonçalves do Ibmec, que recomenda que os profissionais estudem cerca de duas horas diariamente. “Os que acham que o curso é flexível e deixa as atividades para o final de semana, correm o risco de não acompanhar as aulas. Eles vão perder a motivação e desistir.”  

Harvard e MIT sem sair do Brasil
Já é possível estudar gratuitamente em Harvard ou MIT sem ter de viajar para os Estados Unidos. As duas instituições fecharam uma parceria para oferecer cursos por e-learning a alunos que estejam em qualquer lugar, desde que tenham acesso banda larga. 

Juntas, elas criaram uma plataforma de e-learning baseada em código aberto que recebeu investimento de 60 milhões de dólares. O projeto foi batizado de edX e funcionará como uma organização sem fins lucrativos para entregar conteúdo pela web, controlado por Harvard e MIT. A tecnologia escolhida é uma plataforma de ensino a distância (EAD) criada pelo MIT chamada MITx.

A edX oferecerá inicialmente cursos específicos ministrados por Harvard e MIT. Com o tempo, a organização espera incluir cursos de outras universidades, permitindo que outras instituições adicionem recursos à plataforma, já que se trata de uma tecnologia aberta. 

O reitor de Harvard Alan Garber afirma que vai levar para web cursos virtuais já ministrados pela HarvardX. Ao final do curso, as pessoas receberão um certificado de conclusão de edX. Porém, o diploma não leva o selo de Harvard nem do MIT. As duas ainda vão definir quais cursos serão oferecidos pela edX. Harvard prevê faculdade de saúde pública, direito, artes, ciências, entre outras. (Por Fred O’Connor, IDG News Service)


Mudando os Paradigmas da Educação
Está em inglês, MAS LEGENDADO! Para mim é o melhor vídeo sobre educação do século XXI que vi! Existe versão dublada, prefiro este.

Aprendendo para mudar, mudando para aprender

CEOs de diversas empresas falam das exigências atuais postas à escola, na tarefa de formar cidsdãos no Século XXI. A necessidade de incorporar as tecnologias digitais é destacada. (versão legendada)

http://www.youtube.com/watch?v=-uqDyBR29as&feature=player_embedded#t=0s

Outros vídeos  interessantes recomendados em:  http://acontecenaeducacao.blogspot.com.br/


Acontece na Educação Brasileira
Principais notícias da Educação Brasileira com comentários e discussões que possam gerar...

O que as novas tecnologias podem trazer em 2013
(...) A seguir, você verá o que engenheiros, médicos, pedagogos e empreendedores das mais diversas áreas prospectam para 2013. Entre os temas que apareceram estão perspectivas do que será possível criar ou aprofundar com o que as tecnologias agora permitem. É o caso da popularização de ferramentas, como tablets e smartphones, e todo o universo de possibilidades que eles trazem: facilidade de colaboração e a criação de plataformas de aprendizagem, videoaulas e Moocs. 




·  Projeto educacional com Creative Commons 

(...) O I-DEA é uma programa que tem como alvo centros comunitários com o curso de inglês para adultos que estão aprendendo o idioma como sua segunda língua. Seu método desenvolve a linguagem juntamente com uma carreira profissional, permitindo uma formação mais ágil e pronta para o mercado de trabalho. 
A técnica de ensino tem outros exemplos nos EUA. O diferencial do I-DEA é que todos os módulos desenvolvidos estarão sob a licença Creative Commons (entenda aqui). Tudo que for criado dentro do projeto logo será acessível a todos, que poderão reutilizar, traduzir e utilizar livremente. Essa é só uma das preocupações sociais do projeto: 50% das pessoas não terão custos. 


·  Salas do futuro trocam quadros e cadernos por telas interativas 

Na escola fundamental, alunos poderão trabalhar em mesas que permitem interações. Na universidade, a virtualidade pode transformar qualquer lugar num cenário para aprender. Algumas escolas da Alemanha estão usando tecnologia de ponta como apoio didático. O Futurando mostrou como os alunos aprendem de forma divertida, fazendo passeios virtuais por lugares históricos ou estudando o corpo humano em visualizações tridimensionais. 
Mas essa não é a única proposta. No mundo inteiro, pesquisadores buscam soluções tecnológicas para incrementar o ambiente de ensino e proporcionar cenários mais atraentes para uma geração que já nasceu na era digital. No que depender da criatividade e das pesquisas, vai ser cada vez mais interessante ir à escola. 


·  Tecnologia interativa na sala de aula 

O ano de 2012 pode ter sido um marco divisor da forma como se aprende em sala de aula. Neste ano, escolas particulares de Fortaleza começaram a substituir os antigos quadros e pincéis por lousas digitais com tecnologia 3D. Mais que a simples introdução de uma parafernália tecnológica, o equipamento pode facilitar aos educadores o alcance de um objetivo há tempos perseguido: transformar a sala de aula num espaço sedutor e prazeroso de construção de conhecimento. 


·  Carteiras escolares touchscreen para a nova geração 

Pesquisadores da Universidade de Durham estão testando carteiras touchscreen e multiusuário como parte de um projeto de três anos com mais de 400 alunos. A idade dos estudantes varia de 8 a 10 anos e eles utilizam a carteira em grupo para resolver questões de matemática, trabalhando juntos e colaborando em uma grande plataforma, em vez de usar várias folhas de papel. 


·  Artigo: Autonomia e controle; online e off-line 

Alexandre Sayad 
Uma dualidade clássica acompanha pensamentos e práticas educativas: se a escola indubitavelmente almeja a construção de autonomia no estudante, por que costuma exercer controle no seu dia a dia? Ora, a escola é um espaço de muito mais restrições que liberdades – seja na vida acadêmica ou pessoal do estudante. 



--
Atenciosamente.
Claudio Estevam Próspero 
http://mitologiasdegaia.blogspot.com/ (Blog: Mitologias de Gaia)
http://criatividadeinovao.blogspot.com/ (Blog: Criatividade e Inovação)
http://redessociaisgovernanaliderana.blogspot.com/ (Blog:Governança e Liderança em Redes Sociais)
http://reflexeseconmicas.blogspot.com/ (Blog: Reflexões Econômicas)
http://poltica20-yeswikican.blogspot.com/ (Blog: Política 2.0 - Yes, WIKI CAN)
http://automacao-inteligencia-organizacional.blogspot.com.br/ (Blog: Automação e Inteligência Organizacional)
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/ (Comunidade Gestão Conhecimento)

domingo, 5 de agosto de 2012

Arte de Hospedagem e Provocação de Conversações que Importem =prática de liderança poderosa - Para todos os que aspiram aprender e encontrar novas formas para trabalhar com os outros para criar soluções inovadoras e abrangentes



“É assim que todo esse ‘campo’ começou ", diz ela.



"Você está olhando para essa bactéria, que é uma bactéria marinha. Acontece que, quando uma destas bactérias está sozinha, não brilha.



Afinal, isso seria um desperdício de esforço porque nada poderia ver com uma pequena quantidade de luz.

Mas elas enviam sinais químicos que dizem: Hey Eu estou aqui ... e ‘ouvem’ de volta outras bactérias enviando o mesmo sinal.

 Quando bactérias suficientes estão fazendo isso, elas sabem que têm um quórum.

De repente, acendem-se e fazer todos os tipos de outras coisas agindo em conjunto, como um super-organismo.”



Bem-vindo ao A Arte da Hospedagem  [The Art of Hosting]



"A Arte da Hospedagem  e Colheita de Conversações que Importem é uma nova prática da democracia que nós realmente precisamos no mundo, agora."
- Phil Cass, diretor executivo da Columbus Medical Association and Foundation, Ohio, EUA


"Hospedagem é um conjunto emergente de práticas
para facilitar conversas em grupo de todos os tamanhos,
suportado por princípios que:
maximizem a inteligência coletiva;
acolham e ouçam pontos de vista diversos;
maximizando a participação e a civilidade;
e transformando o conflito
em cooperação criativa. "
- A equipe do núcleo de praticantes, Upper Arlington, Columbus Ohio

"A arte da hospedagem é uma prática que cura as relações rompidas entre pessoas." - funcionário da Comissão da UE [União Européia]

Arte da Hospedagem é uma comunidade global de profissionais que utilizam processos  de mudança, métodos participativos, mapas e ferramentas de planejamento integrados para envolver grupos e equipes em conversas significativas, na colaboração deliberada e ação suportada pelo  grupo, visando o bem comum. - Definição colaborativa feita por vários administradores de Arte de Hospedagem

E se a arte de acolher e colheita for sobre como lidar com a complexidade de uma forma simples?
Michelle, participante da formação em  Arte de Hospedagem

Você está convidado a assistir a alguns vídeos com trechos de treinamentos na Arte de Hospedagem.  http://www.vimeo.com/groups/hosting


"Arte de Hospedagem não é um método, mesmo que use tecnologias sociais no estado da arte, (pós)-modernas, que fazem muito sentido e nos ajudem a transformar esse sentido em ação efetiva - se for isso o que os participantes quiserem.
Arte de Hospedagem também não é um processo de dinâmica de grupo, mesmo que ele provoque e às vezes celebre a maravilhosa sensação de comunidade que qualquer grupo, usando autênticas interações humanas, vai experimentar.
Arte de Hospedagem, acima de tudo, é a expressão de um modo de ser, de um modo de vida, de uma maneira de estar, com outras pessoas e situações, conforme elas vão se desenrolando. Hospedagem, na realidade, como o anfitrião no poema de Rumi, "A Casa de Hóspedes", vai acolhendo cada pessoa, sentimento, conceito e situação, tal como ela deseja aparecer. E mais - não só acolhendo, mas ativa e apreciativamente investigando o que parece ser importante para cada um "-. Mushin Shilling

A Arte de Hospedagem e Provocação de Conversações que Importem é uma prática de liderança poderosa, bem como um modelo e prática diária para muitos indivíduos, comunidades, famílias, empresas e organizações.
É um retiro de prática para todos os que aspiram aprender e encontrar novas formas para trabalhar com os outros para criar soluções inovadoras e abrangentes. Somos uma comunidade crescente de praticantes, apoiando-se mutuamente para explorar e realizar o que importa para a maioria de nós.
Nós - os exércitos do Arte de Hospedagem  - convidamos líderes, executivos, gestores, professores - pioneiros de todas as esferas da vida - que queiram ver e agir com sabedoria, de uma perspectiva diferente e prática de liderança, onde a coragem, criatividade, inteligência e a sabedoria, de outras pessoas, sejam tornadas livres.
Líderes que queiram aprender a conduzir sem ser possessivos, a serem úteis, sem obter créditos, e que estejam prontos para deixar fluir, a fim de conseguir mais para o bem comum.
Nós convidamos você a explorar conosco a prática de hospedagem de conversações que importem, para melhorar suas próprias práticas de convidar, concepção, abertura e manutenção de espaços inspirados e significativos, em novos lugares, em seu trabalho, comunidades e vida.
A Arte de Hospedagem e Provocação de Conversações Significativas explora hospedagem como uma prática de liderança individual e coletiva.
Os desafios destes tempos clamam por inteligência coletiva. Temos de co-criar as soluções que buscamos.
Os padrões e práticas da Arte de Hospedagem são baseados em nossas suposições de que é senso comum reunir as partes interessadas na conversação, quando você procura novas soluções para o bem comum.
Acreditamos que quando os seres humanos são convidados a trabalhar em conjunto sobre o que verdadeiramente importa para eles, vão tomar posse e responsabilidade em transformar os seus problemas e idéias em ações mais sábias, que perdurem.


As Necessidades a atender com a Arte da Hospedagem


"Nós somos o sistema - o sistema não está fora de nós mesmos – são os nossos próprios relacionamentos quebrados que precisamos curar – meu relacionamento comigo mesmo, com a vida - com esta terra - com os outros - com o meu trabalho - com o mundo.

É assim que alterações sistêmicas acontecem.

Eu sou o necessário no mundo - nós somos o sistema - nós somos a solução.

Conversas significativas e espaços de aprendizagem real curam nossos relacionamentos.

Somos convidados a entrar, vivendo e trabalhando com o coração ....

Do desrespeito ao respeito - do "eu sei mais" a curiosidade - do julgar para o entender um ao outro - de máquina para sistema vivo - do medo ao amor.

Isso é o que precisamos hospedar agora, entre nós

Isso faz parte da Obra de quem quer ajudar o mundo neste momento. " - Visão coletiva durante o AoH, no Brasil, Dezembro de 2007

“Nosso mundo enfrenta alguns desafios sérios ... que, a menos que aprendamos a conversar, como fizemos aqui, serão muito difíceis de superar ...

Precisamos de novas ferramentas de conversação e processos de grupo que possam nos ajudar a trabalhar com a complexidade e encontrar soluções coletivas.” - Um jovem líder europeu

• Para irmos da fragmentação à conexão
• Para fundamentarmos nossas ações no que é significativo
• Para acessarmos e aproveitarmos a sabedoria de todas as nossas inteligências coletivas
• Para sermos capazes de liderar a partir do "campo"
• Para mudarmos nossos padrões de organização e interação

O Propósito da Arte da Hospedagem


• Conectar e alinhar os nossos mundos internos e externos, relembrando o que temos e tendo a coragem de agir com sabedoria.
• Criar um recipiente para a emergência: a prática da liderança a partir do "campo"
• Estar em um espaço seguro, para aprender a estar juntos, da melhor maneira possível
• Compreender que ter medo é parte da viagem e assim obter a coragem de viajar através do medo
• Para hospedar com uma consciência de que as pessoas vão ficar juntas, de uma forma autêntica

Uma Declaração de Propósito define, com absoluta clareza e convicção profunda, a proposta da comunidade.
Uma declaração de propósito eficaz  será uma declaração clara, comumente entendida, do que identifica e mantém a comunidade unida, do que é digno de ser perseguido.
Quando feita corretamente, ela pode, geralmente, ser expressa em uma única frase. Os participantes vão definir a finalidade,
Se pudéssemos conseguir isso, minha vida teria significado. - Dee Hock

Os Princípios da Arte da Hospedagem


• O modelo para a Arte da Hospedagem é a Vida - é geradora e nenhum de nós a possuí.
• As diferentes práticas em Arte da Hospedagem são portas de entrada para a conexão com nós mesmos, uns com os outros e com o todo maior
• A Arte de Hospedagem nos conecta e nos une
• A Arte de Hospedagem acolhe e celebra a diversidade
• A Arte de Hospedagem convida a viver nela - para que possamos responder às necessidades do momento
• A consciência  da Arte de Hospedagem mantém a habilidade de dançar com múltiplas práticas
• A fim de acolher e ensinar uma prática você tem que reter e abraçar o padrão mais profundo daquela prática

"Princípios normalmente têm elevado conteúdo ético e moral, e desenvolvê-los requer o envolvimento da pessoa como um todo, não apenas do intelecto.
Os melhores serão descritivos, não prescritivos, e cada princípio vai iluminar os outros.
Tomados como um todo, juntamente com o propósito, os princípios constituem o corpo de crenças que vão manter a comunidade unida e contra os quais todas as decisões e atos serão julgados. "- Dee Hock

Principais Métodos:



* Quem vem são as pessoas certas

* Sempre que começa é o momento certo

* Aconteça o que acontecer é a única coisa que poderia ter acontecido

* Quando terminar, terminou

* A Lei de Dois Pés: "Se a qualquer momento você encontra-se em qualquer situação onde você não estiver nem aprendendo nem contribuindo use seus dois pés e dirija-se para um lugar mais ao seu gosto"

  * PAIXÃO E RESPONSABILIDADE

  * Esteja preparado para ser surpreendido!


Muito mais no site e nos links lá disponibilizados:  http://www.artofhosting.org/home/

22 jul. 2009 ... Se você quiser saber mais leia o livro – O World Cafe – de Juanita Brown e
David Isaacs, ou veja o vídeo: Caso você queira fazer um World ...

  

COFFEE BREAK PRODUTIVO 

Apresentando a inovadora 'Tecnologia do Espaço Aberto' (TEA) ao leitor brasileiro, 'Coffee Break Produtivo' detalha como organizar e facilitar reuniões envolvendo grupos heterogêneos de 5 a mil pessoas, mas não só - a TEA é toda uma nova proposta de relacionamento entre pessoas para a aprendizagem permanente. Funciona baseada na paixão e na responsabilidade; reconhece e avalia dados do passado e se lança ao futuro, de tal maneira que os que a aplicam, estejam eles em qualquer nível hierárquico de uma dada organização, sejam plenamente incluídos em seu desenvolvimento e desempenhem seu papel com absoluta propriedade.

Claudio:  Meu primeiro contato com estas técnicas foi no Encontro Nacional da Escola de Redes, em campos do Jordão, Junho/2009, onde os amigos da Papagallis (“os primeiros papagaios que conheci que ouvem muito mais do que falam”) nos conduziram em sessões de Ativação da Sabedoria Coletiva.    

Jay e mais alguns peso-pesados da Aprendizagem Informal participaram de um
debate na Oxford Union. Afinal, a Aprendizagem Informal tem mais estilo do ...

Uma rede de pessoas dedicadas à investigação sobre redes sociais e à criação
e transferência de tecnologias de netweaving (algo como “animação de redes”).

segunda-feira, 5 de julho de 2010

NETWEAVER: SOBRE A ARTICULAÇÃO E A ANIMAÇÃO DE REDES SOCIAIS (NETWEAVING)

    NetWeaving é um passo além do tradicional networking de carreira
(Ver texto abaixo)

Espaço aberto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.  http://pt.wikipedia.org/wiki/Espaço_aberto

Espaço aberto é a tradução para Open Space Technology (OST). Trata-se de uma forma de congregar pessoas em uma conferência, retiro ou encontro.

Os participantes são convidados a gerar a agenda do encontro assim como participar liderando pequenos grupos de discussão durante o período desses encontros. Usualmente existe um facilitador mas este não é um líder oficial do encontro, que estabelece regras ou normas.

Alguns Barcamp ou Desconferências usam Espaço Aberto (Open Space Technology) ou adaptações.
Esse modelo é hoje muito usado por membros de ONG ou da blogosfera. Segue a ética hacker e outros conceitos Open (tecnologias abertas, sem dono, para o bem coletivo).                                                                                            

Índice

 [esconder

Desconferência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.  http://pt.wikipedia.org/wiki/Desconferência

Desconferências estão ganhando popularidade na comunidade hi-tech como fóruns auto-organizados para troca de idéias, networking, aprendizado, conversação, demonstração e interação entre pessoas. O formato de uma desconferência é baseado na premissa de que, seja qual for o tipo de profissão, as pessoas na audiência – não apenas aquelas selecionadas para falar no palco - tem pensamentos interessantes, insight, e habilidades para compartilhar. É um encontro centrado em um tema ao propósito guiado pelos participantes.

O termo "desconferência" foi aplicado, ou autoaplicado, para uma ampla gama de manifestações que tentam evitar um ou mais aspectos de uma conferência convencional, tal como os custos elevados e apresentações patrocinadas.

Por exemplo, em 2006, a CNNMoney aplicou o termo para diversos eventos incluindo o BarcampBloggercon, andMashup Camp.[1] O termo é geralmente usado na comunidade geek.

Desconferências podem não possuir uma agenda definida, mas elas continuam possuindo uma estrutura definida que provê atender uma série de ferramentas para o andamento do evento. Os princípios que guiam uma desconferência são diretamente influenciados pelo trabalho do autor e consultor Harrison Owen, que descreve um método de organizar grupos de interação, chamado Open Space Technology. Owen em seu artigo “Opening Space for Emerging Order”, explica os Quatro Princípios do Open Space:
  1. Seja quem for que veio, é a pessoa certa;
  2. O que quer que aconteça, é apenas aquilo que deveria ter acontecido;
  3. Quando quer que comece é na hora certa;
  4. Quando acaba, acabou. E acompanhando a "Lei dos Dois Pés" afirmando que, "Se a qualquer momento você encontra-se em qualquer situação onde você não estiver nem aprendendo nem contribuindo use seus dois pés e dirija-se para um lugar mais ao seu gosto".
O método Open Space foi utilizado com sucesso para organizar os encontros da Fortune, de 500 executivos, cientistas, e mesmo políticos rivais na África do Sul.

Por requererem infraestrutura e organização de uma indústria madura, desconferências podem acontecer mais frequentemente. Porque seu custo deve ser mínimo (ou não-existente), qualquer um que deseje pode ir. Todos em uma desconferência participam de alguma forma, interagindo, estabelecendo networking e trocando ideias.

Os encontros Open Space e a desconferência possuem fortes similaridades com os encontros bem estabelecidos no mundo da música: em particular, a Jam Session. Durante uma Jam Session, músicos trazem conhecimentos de modelos particulares - os quais provem com o sistema em um tempo musical, tom, e assim por diante. Estes modelos e as regras de tocá-los lançam a expectativa de como os participantes irão interagir uns com os outros. Uma Jam Session pode incluir horas de improvisação e solos - requerendo que os participantes ouçam atentamente uns aos outros para reagir apropriadamente perante a experiência musical. As regras da Jam Session incluem uma similar ao da "Lei dos Dois Pés": Se você não está contribuindo com o som, você deveria deixar os outros participantes explorarem o espaço musical.

Índice

 [esconder

NetWeaving é um passo além do tradicional networking de carreira

por Michael Sisco | 31 de março de 2003 8:00:00

Tags: desenvolvimento profissional, Planejamento financeiro , Estratégia, Michael Sisco, network..., NetWeaving, carreira

2 comentário (s)  Recomendar 6


Vamos lá: Nós todos sabemos a importância do trabalho em rede para encontrar novos negócios e fazer novos contatos para a carreira. Agora há NetWeaving, uma abordagem simples e mais recíproca que se concentra em ajudar os outros a resolver problemas.



Redes tem sido citadas como um meio eficaz de fazer novos contatos profissionais e como forma de expandir os horizontes da carreira. Agora há uma nova tendência para esta antiga ferramenta de carreira - NetWeaving, um conceito bastante simples, focada em desenvolver, de forma mais eficaz, relações comerciais recíprocas que tem grande alcance potencial.


Um puxão na abordagem tradicional

Em uma abordagem tradicional de networking, você vai para uma reunião ou atividade com a idéia de tentar obter as alianças estratégicas que ajudam a impulsionar o seu negócio. Em outras palavras, a mentalidade é: "O que há nela para mim?" É um meio eficaz de fazer novos contatos e desenvolver relações de negócio que pode ser muito benéficos para qualquer um.

NetWeaving tem uma abordagem um pouco diferente e eu acho mais confortável. O termo foi cunhado por Bob Littell, um consultor que foca marketing estratégico, design de produtos, desenvolvimento e implementação de questões dentro da indústria de serviços financeiros. Ao invés de ir à "festa" para saber o que for possível que possa levar a novos negócios, você participa com a intenção de aprender tudo o que puder, de tantas pessoas quanto possível, sobre os seus negócios, suas necessidades e seus desafios. O objetivo é tentar ajudar tantas pessoas quanto possível. A ajuda ou insight que você fornece pode ser: colocá-los em contato com alguém que você conhece ou partilha uma visão que possa ajudar a outra pessoa.

O tema subjacente de NetWeaving, que eu acho tão importante, é a reciprocidade, fazendo coisas boas para os outros você pode ser recompensado muitas vezes mais. Eu tinha visto isso em meu próprio negócio, mesmo antes de ouvir o termo. Quando eu ajudo os outros, parece que coisas boas acontecem para mim.


Um conceito poderoso

Littell oferece essa história de quão poderoso NetWeaving pode ser. Ele deveria fazer a palestra de abertura de um Workshop de um grupo de grandes usuários da Xerox Global Services, para a indústria de seguros e serviços financeiros. As condições meteorológicas causaram atrasos na chegada dos principais executivos participantes do evento, causando o adiamento do início da reunião. Tornou-se evidente a Bob que o seu longo discurso poderia não caber no tempo disponível. Assim ele se ofereceu para tornar o foco de sua fala, sobre NetWeaving, em "Como podemos ajudar uns aos outros?" - para iniciar a conferência.

A apresentação foi um sucesso, e o tom do workshop de um-dia-e-meio tornou-se, "Como posso ajudar?" As pessoas obtiveram materiais, enviados durante a noite, para partilhar com os outros no dia seguinte. Pessoas na Xerox Global Services ainda falam sobre este seminário como um evento de referência, e se tornaram crentes fortes em princípios de NetWeaving , razão pela qual publicaram seu livro sobre o tema.

Esse primeiro livro, Power NetWeaving, está disponível neste site por US $ 19,95. Littell e sua co-autor, Donna Fisher, estão doando todos os royalties das vendas para as fundações de serviços financeiros dedicadas a ajudar os consumidores a ter uma melhor compreensão e apreciação sobre a proteção do seguro e, possivelmente, os programas da Junior Achievement. Uma seção de Check-list do livro, O Coração e a Arte de NetWeaving, está previsto para lançamento neste ano.


Uma abordagem mais relaxada

Um razão porque NetWeaving chama a atenção é que é uma abordagem mais descontraída, mais humana para networking. Eu não posso ser o único que sente-se desconfortável indo para um evento e tentar "o trabalhar a sala" em busca de oportunidades. É muito mais confortável, e até divertido, para iniciar uma conversa com alguém, se eu tiver um genuíno interesse em aprender o que faz e procurar maneiras em que o meu conhecimento, experiência e rede imediata poderiam beneficiá-lo.

NetWeaving reconhece que todos nós somos realmente "quebra-cabeças que andam e falam", com peças faltantes na forma de:

- Problemas que precisam ser resolvidos.
- Necessidades que precisam ser atendidas.
- Oportunidades ou ideias que, sem ajuda de outra pessoa (aconselhamento, apoio, dinheiro, etc), nunca poderão atingir seu pleno potencial.

Quando você iniciar NetWeaving, você pode ser surpreendido com o quanto você tem para oferecer aos outros. Tudo que você precisa é ser um segundo par de ouvidos (ou o segundo conjunto de antenas de rede) a estar alerta para os problemas e necessidades dos outros. Na verdade, você pode fazer NetWeave enquanto faz network. Em conversas, quando você está sintonizado com a pergunta: "Essa pessoa pode me ajudar?" considere estas perguntas:

- Há alguém que se beneficiaria de reunião ou conhecer essa pessoa?
- Essa pessoa poderia agir como um recurso para alguém que eu conheço?
- Essa pessoa me impressionou tanto que eu deveria considerar adicionar a pessoa à minha rede confiável de recursos, composta por outros "melhores NetWeavers?"


Experimente e veja como funciona

Littell gosta de descrever NetWeaving como "networking sem pontuação". Um ponto importante a lembrar é que ao ser percebido como um NetWeaver (um "doador"), você abre todos os tipos de linhas de comunicação. Esta nova abertura, automaticamente, leva a oportunidades.

Eu desafio você a fazer NetWeaving por uma semana e veja por si mesmo como ele pode fazer a diferença na sua perspectiva diária. Você também pode receber um sorriso, ou dois, em troca.

-------------------------------------------------- ------------------------------

Você já fez NetWeaving?

Se você tentou NetWeaving, conte-nos sobre a sua experiência e se você acha que obteve todos os benefícios. Se usarmos o seu feedback em um próximo artigo, vamos enviar-lhe uma caneca de café TechRepublic.
-------------------------------------------------- ------------------------------


Mike Sisco é o CEO da MDE Enterprises, uma empresa de consultoria em Treinamento e Gestão de TI. Para mais insights sobre gestão, de Mike , dê uma olhada em sua IT Manager Development Series


Um abraço.
Claudio.


Para saber mais sobre o assunto:


--
Atenciosamente.
Claudio Estevam Próspero 
http://mitologiasdegaia.blogspot.com/ (Blog: Mitologias de Gaia)
http://criatividadeinovao.blogspot.com/ (Blog: Criatividade e Inovação)
http://redessociaisgovernanaliderana.blogspot.com/ (Blog:Governança e Liderança em Redes Sociais)
http://reflexeseconmicas.blogspot.com/ (Blog: Reflexões Econômicas)
http://poltica20-yeswikican.blogspot.com/ (Blog: Política 2.0 - Yes, WIKI CAN)
http://www.portalsbgc.org.br/sbgc/portal/ (Comunidade Gestão Conhecimento)